Eles estão entre Nós

Eles estão entre Nós

“Se a montanha não vai a Maomé, Maomé vai à montanha”. Esta frase se tornou muito popular entre os brasileiros, alguns falam sem ter ideia de quem foi Maomé.

Não há uma unanimidade, mas acredita-se que a frase surgiu no seguinte contexto: Certa vez alguns árabes pediram para Maomé uma prova do que ensinava desafiando-o para que ordenasse ao monte Safa, na Arábia Saudita, que se movesse até ele. Ele tentou e não conseguindo o milagre, então ele mesmo foi até lá. Em seguida exaltou a misericórdia de Allah dizendo: “Ainda bem que a montanha não veio até nós, pois todos seriam esmagados”.

Após anos de grande desconfiança e rejeição Maomé foi aceito como mensageiro. Inicialmente um profeta local e depois para todo o mundo. Ele teve que trabalhar duro, desembainhar a espada e lutar contra seus opositores até que fosse aceito, respeitado e temido. Ele não precisava mais provar sua identidade profética através de milagres, seus seguidores sabiam que seu maior milagre seria o Corão (livro sagrado dos muçulmanos) enviado por meio do anjo Gabriel. O jovem comerciante, agora é Profeta, ele que nunca teve pai, agora se tornou pai não somente dos árabes, mas de todos aqueles que receberiam o Islã como religião.

Muita areia já se moveu de um lado para o outro no deserto, o Islã cresceu, se tornou uma das maiores religiões do mundo e nas últimas décadas um dos maiores desafios missionário para a Igreja Global.

Mas o que esse ditado popular tem a ver com Missão? É possível fazer uma relação entre ele e o trabalho missionário da Igreja Brasileira entre os filhos espirituais de Maomé.

As estatísticas mostram que é pequeno o número de missionários brasileiros entre os muçulmanos. Todavia, Deus em Sua infinita graça não se esquece dos filhos de Maomé. Não fomos até eles, mas o Senhor os trouxe.

Muçulmanos no Brasil

Estima-se que há pelo menos 12 milhões árabes morando no Brasil. É importante ressaltar que nem todos são muçulmanos. A primeira onda de imigração contou com cristãos, católicos e Maronitas. No segundo momento, grande parte era composta por muçulmanos vindos do Líbano, Palestina e Síria.

Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há 35 mil muçulmanos brasileiros. Todavia, a maioria das instituições islâmicas discorda desse número, uma vez que as estatísticas anteriores incluíam islâmicos no item: “outras religiões”.

A Federação Islâmica Brasileira (FIB), afirma que o número de seguidores de Maomé é de aproximadamente 1,5 milhão de fiéis em solo brasileiro. Os muçulmanos também afirmam que há mais de 50 mesquitas e mais de 80 centros islâmicos espalhados pelo Brasil.

A maioria vive em áreas urbanas. O Brasil é o terceiro maior país muçulmano das Américas, perde apenas para EUA e Canadá. Dados do IBGE mostram que o número de muçulmanos cresceu 29,1% de 2000 a 2010. Um estudo detalhado mostra que durante este período o islamismo chegou em 206 novos municípios e cresceu em 91 cidades brasileiras.

A Comunidade Islâmica lançou duas faculdades no país, a Universidade Islâmica do Brasil, no ano de 2004 na cidade de Jundiaí-SP e no ano de 2008 foi inaugurou uma universidade em Maringá, o Instituto Latino-Americano de Estudos Islâmicos.

A Sociedade Beneficente Muçulmana declarou que no Estado de São Paulo, o número de mesquitas teve um crescimento considerável nos últimos anos. No ano 2000 havia apenas seis mesquitas no Estado, em 2010 o número chegou a 27 e delas 11 estão localizadas na capital.

Segundo Cláudio Crespo, pesquisador do IBGE, o aumento do número de muçulmanos no Brasil pode ter ocorrido por razões diversas, tais como conversões, migrações ou até mesmo uma melhoria na captação de informações pelo próprio Censo.

É tempo de corrigir nossos erros. Oro para que o Senhor Jesus desperte a Igreja Brasileira para o envio de missionários aos países muçulmanos e aos lugares mais remotos, não se esquecendo daqueles que já estão entre nós, aqui mesmo no Brasil (At 1:8).

Tive o grande privilégio de servir como missionário no Norte da África, em seguida, Deus nos trouxe de volta ao Brasil para mobilizar pessoas e treinar a Igreja para alcançar os muçulmanos no Brasil. Nesse contexto nasceu a Missão Evangélica Árabe do Brasil (MEAB), uma agência missionária interdenominacional, localizada em Foz do Iguaçu (Tríplice Fronteira) onde há aproximadamente 30 mil árabes muçulmanos.

A visão da MEAB é mobilizar e capacitar cristãos para proclamar o Evangelho aos árabes que estão perto de nós. Neste ano fomos um pouco além, diante da situação caótica na Síria, vários crentes em Jesus chegaram como refugiados em nossa nação. Através de irmãos generosos e igrejas parceiras, acolhemos 13 cristãos Sírios em nossa cidade. Eles receberam teto, uma nova oportunidade, um abraço e uma família. Hoje são centenas deles espalhados pelo Brasil.

Que o senhor Jesus nos ajude a cumprir a Missão de testemunhar, tanto aos de perto, quanto aos que estão longe.

Flávio Ramos

Fundador e Presidente da Missão Evangélica Árabe do Brasil – MEAB

Fontes:

www.mesquitabrasil.com.br/isla_brasil.php

http://www.anba.com.br/noticia_especiais.kmf?cod=18828604

http://jornaldagazeta.tvgazeta.com.br/index.php?option=com_videoflow&task=play&id=5985

http://jornaldagazeta.tvgazeta.com.br/index.php?option=com_videoflow&task=play&id=5985

http://www.anba.com.br/noticia_especiais.kmf?cod=18828604

Compartilhe:

Você também poderá gostar:

2 comentários

  • Rogerio disse:

    Glorias a DEUS pelo empenho e dedicação para alcançar os povos Árabes muçulmanos , que o SENHOR JESUS continue dando capacidade visão do Reino ,e levante obreiros ,para se capacitar para esta ceara que é grande .

    no amor de CRISTO .

  • saletemenezes7 disse:

    Quero o endereço para eu entrar em contato para participar do treinamento.
    Obrigada.

Deixe seu comentário!